Teatro Politeama

Estavam a começar os anos 10! Luís António Pereira, que era um homem apaixonado pelas artes do espectáculo, sonhou dar a Lisboa uma nova sala, onde a música e o teatro pudessem servir o público e a cultura portuguesa. Assim, nuns terrenos que comprou na Rua das Portas de Santo Antão, frente ao Coliseu dos Recreios, lançou em 12 de Maio de 1912 a primeira pedra do que viria a ser o Teatro Politeama. Encarregou o mais prestigiado arquitecto do seu tempo, Ventura Terra, de traçar os planos do projecto, sendo o responsável pela construção, José Passos Mesquita. Das decorações do teatro ocuparam-se o escultor Jorge Pereira e os pintores Benvindo Seia e Veloso Salgado. Finalmente, Luís António Pereira inaugurou a 6 de Dezembro de 1913 o "seu" Politeama! O espectáculo de estreia foi com a opereta "Valsa de Amor", com Cremilda de Oliveira e Sofia Santos nas principais figuras.

Muitas foram as Companhias de Teatro que representaram no Politeama: Angela Pinto, Palmira Bastos, Alves da Cunha, Brunilde Júdice, Adelina Abranches - Aura Abranches, Lucinda Simões - Erico Braga, Maria Matos, Nascimento Fernandes, Luisa Satanela - Estevão Amarante. Foi neste Teatro que Amélia Rey Colaço, já em termos de Companhia Rey Colaço - Robles Monteiro representou "O Lodo" de Alfredo Cortez e "Salomé" de Oscar Wilde, duas peças polémicas na sua época, e após temporadas de grande sucesso artístico, a Companhia saiu do Politeama para tomar a concessão e a direcção do Teatro Nacional D. Maria II. Aqui, neste palco, Palmira Bastos interpreta com grande êxito "A Dama das Camélias".

Em 1935, na companhia Alves da Cunha, estreou-se em 20 de Agosto a grande actriz Laura Alves em "Duas Garotas de Paris" ao lado de João Villaret. Por este teatro passaram os maiores actores da cena portuguesa do Séc. XX como António Silva, Irene Isidro, Vasco Santana, Teresa Gomes, Raúl de Carvalho, Emília de Oliveira, Ruy de Carvalho, Varela Silva e Curado Ribeiro.

Durante anos o Politeama foi cinema estreando filmes históricos como "Casablanca" em plena IIª Grande Guerra Mundial, o que provocou uma autêntica batalha campal entre os espectadores. O Politeama tornou-se o cinema de estreia dos filmes de Mário Moreno (Cantinflas), de Bette Davis, Humphrey Bogart e de outras estrelas carismáticas do cinema americano dos Anos 40 / 50. Nos Anos 50, Igrejas Caeiro realizou neste palco o célebre "Combóio das Seis e Meia" em que ficaram célebres as figuras de "Zéquinha" e da "Lélé", interpretadas por Vasco Santana e Irene Velez. Neste programa radiofónico que era transmitido em directo do Politeama, ficaram célebres as actuações de Amália Rodrigues que estreou aqui vários dos seus grandes sucessos.

Muitas festas de homenagem a várias personalidades do espectáculo tiveram aqui lugar desde ngela Pinto a Dário Nicodemi, a Guilhermina Suggia, a David de Sousa, ou a Nascimento Fernandes e, recentemente, a Armando Cortez, Luzia Maria Martins, a encenadora que aqui se estreou como actriz em 1933 na companhia de revista de Linda Demoel, Igrejas Caeiro e Maria Helena Matos que neste palco representou durante mais de um ano, com a sua mãe Maria Matos, a célebre comédia "O Domador de Sogras" com as geniais Maria Matos e Adelina Abranches..

Finalmente em 1991 Filipe La Féria, remodelou o Teatro Politeama, estreando em 1992 neste palco o grande musical "Maldita Cocaína" de Filipe La Féria, a que se seguiram, entre outros, "Maria Callas" de Terrence McNally, "Rosa Tatuada" de Tennessee Williams e o grande sucesso que é "Amália".

<-- --!>